quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O hóspede

Estas férias, logo no 1º dia, quando dávamos o nosso passeio pelo pinhal, começamos a ser seguidos por um gato, embora se mantivesse a uma certa distância não deixou de nos acompanhar durante todo o percurso.
Como vimos que ele era mansinho pensámos que ou se tinha perdido ou tinha sido abandonado, assim tivemos o cuidado de passar outra vez pelo sítio onde ele nos começou a seguir para ver se ele ficava por ali, não fosse ser de uma das quintas que ficam no caminho. mas ele não ficou e continuou a seguir-nos até casa e qual não é o nosso espanto quando ao abrirmos a porta ele entra rapidamente e instala-se confortavelmente no sofá !
Achamos um piadão ao gato e ficamos imediatamente rendidos, até porque ultimamente a minha filha andava a pedir um gato e nós dissemos que depois das férias pensaríamos nisso, mas com este gato caído do céu o assunto ficava resolvido; no entanto sempre ficou bem claro que se aparecesse o dono nós o devolveríamos, como é evidente, mas se até ao final das férias não aparecesse ninguém nós ficávamos com ele, não fosse o pobre gato ter sido abandonado.
Nos dias que se seguiram ninguém veio perguntar pelo gato nem vimos papéis que o procurassem; passaram-se 15 dias e o gato continuou sempre connosco, mesmo passando a noite na rua mal abríamos a porta de manhã ele ali estava à nossa espera.
Até que ao fim de duas semanas cruzo-me de carro com um vizinho de uma das quintas e peço-lhe para parar, quando lhe pergunto se tinha perdido algum gato ele disse que sim, ficou emocionadíssimo, disse que o tinha oferecido à filha quando o gato ainda era bébé e estavam muito tristes pois pensavam que ele se tinha perdido e acabado por morrer, já que estavam convencidos que os gatos dão as suas voltinhas mas conseguem sempre voltar a casa.
Nós também ficámos surpreendidos pois a quinta do vizinho fica relativamente perto e ele esteve sempre connosco e nunca os procurou.
Enfim, ficamos tristes mas por outro lado pensamos na alegria da filha do vizinho ao rever o seu gatinho de estimação e assim nos despedimos do Tareco ... ou não ...
Durante o resto das férias o Tareco ( que afinal se chama Bala ) apareceu lá em casa inúmeras vezes e de todas elas o vizinho teve de o ir buscar porque ele não aparecia em casa; eu já brincava a dizer que tínhamos um animal de estimação em part time e que o Bala gostava de ir passar uns dias fora  !
Ainda estou para ver se no próximo fim de semana ele aparece lá em casa !




 

2 comentários:

  1. É bem bonito! Cá para mim o Bala quis foi passar umas férias fora de casa ;) Agora pensa em adoptar um gatinho, há tantos à espera de uma casa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lindo não é ? Estamos mesmo a pensar nisso ;)

      Eliminar